Guia do Usuário Cancelar

Noções básicas sobre som

  1. Guia do Usuário do Audition
  2. Introdução
    1. Novidades no Adobe Audition
    2. Requisitos de sistema do Audition
    3. Localizar e personalizar atalhos
    4. Aplicar efeitos no Editor de múltiplas faixas
  3. Espaço de trabalho e configuração
    1. Suporte à superfície de controle
    2. Visualização, zoom e navegação do áudio
    3. Personalizar espaços de trabalho
    4. Conexão com hardware de áudio no Audition
    5. Personalizar e salvar configurações do aplicativo
  4. Conceitos básicos do áudio digital
    1. Noções básicas sobre som
    2. Digitalizar áudio
  5. Importação, gravação e reprodução
    1. Fluxo de trabalho de áudio multicanal
    2. Criar, abrir ou importar arquivos no Adobe Audition
    3. Importação com o painel Arquivos
    4. Extrair áudio de CDs
    5. Arquivos para importação compatíveis
    6. Navegar pelo tempo e reproduzir áudios no Adobe Audition
    7. Gravar áudio
    8. Monitoramento dos níveis de gravação e reprodução
    9. Remova silêncios de suas gravações de áudio
  6. Edição de arquivos de áudio
    1. Editar, reparar e aprimorar o áudio usando o painel Áudio essencial
    2. Gerar conversão de texto em fala
    3. Corresponder o volume em vários arquivos de áudio
    4. Exibição do áudio no Editor forma de onda
    5. Selecionar o áudio
    6. Como copiar, recortar, colar e excluir áudios no Audition
    7. Fade visual e alteração de amplitude
    8. Trabalhar com marcadores
    9. Inverter, reverter e silenciar o áudio
    10. Como automatizar tarefas comuns no Audition
    11. Analisar a fase, frequência e amplitude com o Audition
    12. Divisor de bandas de frequência
    13. Desfazer, refazer e histórico
    14. Conversão dos tipos de amostra
    15. Criação de podcasts usando o Audition
  7. Aplicação de efeitos
    1. Permitir extensões CEP
    2. Controles de efeitos
    3. Aplicar efeitos no Editor de forma de onda
    4. Aplicar efeitos no Editor de Múltiplas faixas
    5. Adicionar plug-ins de terceiros
    6. Efeito Filtro de fenda
    7. Efeitos Envelope de fade e Envelope de ganho (somente no Editor de forma de onda)
    8. Efeito de correção de timbre manual (somente no Editor de forma de onda)
    9. Efeito Deslocador gráfico de fase
    10. Efeito Doppler Shifter (somente no Editor de forma de onda)
  8. Referência de efeitos
    1. Aplicar efeitos de amplitude e compactação no áudio
    2. Efeitos de atraso e eco
    3. Efeitos de diagnóstico (apenas para o Editor de forma de onda) do Audition
    4. Efeitos de filtro e equalizador
    5. Efeitos de modulação
    6. Reduzir ruído e restaurar áudio
    7. Efeitos de reverberação
    8. Como usar efeitos especiais com o Audition
    9. Efeitos de imagens em estéreo
    10. Efeitos de manipulação de tempo e tom
    11. Gerar tons e ruído
  9. Mixagem de sessões com múltiplas faixas
    1. Criar remix
    2. Visão geral do Editor de múltiplas faixas
    3. Controles básicos de múltiplas faixas
    4. Roteamento de múltiplas faixas e controles EQ
    5. Organize e edite clipes de múltiplas faixas com o Audition
    6. Clipes em loop
    7. Como igualar, atenuar e misturar o volume do clipe com o Audition
    8. Automatizar mixagens com envelopes
    9. Amplificação de clipe com múltiplas faixas
  10. Vídeo e som surround
    1. Trabalho com aplicativos de vídeo
    2. Importação de vídeo e trabalho com clipes de vídeo
    3. Som surround 5.1
  11. Atalhos de teclado
    1. Localizar e personalizar atalhos
    2. Atalhos do teclado padrão
  12. Salvar e exportar
    1. Salvar e exportar arquivos de áudio
    2. Visualização e edição de metadados XMP

Ondas sonoras

O som começa com vibrações no ar, como aquelas geradas por cordas de violão, cordas vocais ou cones de alto-falantes. Essas vibrações empurram as moléculas de ar umas próximas das outras, elevando ligeiramente a pressão do ar. Em seguida, as moléculas de ar sob pressão empurram as moléculas de ar circundantes que, por sua vez, empurram o próximo conjunto de moléculas e assim por diante. À medida que as áreas de alta pressão se movem pelo ar, elas deixam áreas de baixa pressão atrás delas. Quando essas ondas de alterações de pressão chegam até nós, elas vibram os receptores em nossos ouvidos e ouvimos as vibrações como sons.

Quando você vê uma forma de onda visual que representa o áudio, ela reflete essas ondas de pressão do ar. A linha zero na forma de onda é a pressão do ar em repouso. Quando a linha oscila para cima até um pico, ela representa uma pressão mais alta e, quando oscila para baixo até um vale, representa uma pressão mais baixa.

Uma onda de som representada como forma de onda visual

A. Linha zero B. Área de baixa pressão C. Área de alta pressão 

Medidas da forma de onda

Diversas medidas descrevem formas de onda:

Amplitude

Reflete a alteração na pressão do pico da forma de onda até seu vale. Formas de onda de alta amplitude são altas, enquanto formas de onda de baixa amplitude são silenciosas.

Ciclo

Descreve uma única sequência repetida de alterações de pressão: começando com zero de pressão, seguindo para alta pressão, caindo para baixa pressão e depois voltando para zero.

Frequência

Medido em hertz (Hz), descreve o número de ciclos por segundo. (Por exemplo, uma forma de onda 1000 Hz tem 1000 ciclos por segundo.) Quanto maior a frequência, maior será o tom musical.

Fase

Medida em 360 graus, indica a posição de uma forma de onda em um ciclo. Zero grau é o ponto de partida, seguido por 90º em alta pressão, por 180º no ponto médio, por 270º em baixa pressão e por 360º no ponto final.

Comprimento de onda

Medida em unidades, como polegadas ou centímetros, é a distância entre dois pontos com o mesmo grau de fase. À medida que a frequência aumenta, o comprimento da onde diminui.

Um único ciclo à esquerda; uma forma de onda completa de 20 Hz à direita

A. Comprimento de onda B. Grau de fase C. Amplitude D. Um segundo 

Como ondas sonoras interagem

Quando duas ou mais ondas sonoras se encontram, elas se somam ou subtraem umas das outras. Se os seus picos e vales estiverem perfeitamente em fase, eles se reforçarão, resultando em uma forma de onda cuja amplitude é maior que a de cada forma de onda individual.

Se os picos e vales de duas formas de onda estiverem perfeitamente fora de fase, eles se cancelarão uns aos ouros, resultando em nenhuma forma de onda.

Porém, na maioria dos casos, as ondas estão fora da fase em quantidades variáveis, resultando em uma forma de onda combinada que é mais complexa do que formas de onda individuais. Uma forma de onda complexa que representa música, voz, ruído e outros sons, por exemplo, combina as formas de onda de cada som.

Observação:

Devido à sua estrutura física exclusiva, um único instrumento pode criar ondas muito complexas. É por isso que um violino e uma trombeta geram sons diferentes, mesmo tocando a mesma nota.

Ondas em fase reforçam umas às outras.

Ondas fora de fase se cancelam umas às outras.

Duas ondas simples se combinam para criar uma onda complexa.

Logotipo da Adobe

Fazer logon em sua conta