Observação:

a interface de usuário foi simplificada no Dreamweaver CC e posterior. Como resultado, você talvez não consiga localizar algumas das opções descritas neste artigo no Dreamweaver CC e posterior. Para obter mais informações, consulte este artigo (em inglês).

Definir um conjunto de registros sem escrever em SQL

Você pode criar um conjunto de registros sem inserir manualmente instruções SQL.

  1. Na janela Documento, abra a página que usará o conjunto de registros.
  2. Selecione Janelas > Ligações para exibir o painel Ligações.
  3. No painel Ligações, clique no botão de adição (+) e selecione Conjunto de registros (consulta) no menu pop-up.

    A caixa de diálogo simples Conjunto de registros é exibida. Caso você esteja desenvolvendo um site em ColdFusion, a caixa de diálogo Conjunto de registros muda um pouco. (Caso a caixa de diálogo avançada Conjunto de registros seja exibida em seu lugar, clique no botão Simples a fim de alternar para a caixa de diálogo Conjunto de registros simples.)

  4. Complete a caixa de diálogo Conjunto de registros referente ao tipo de documento.

    Para obter instruções, consulte os tópicos abaixo.

  5. Clique no botão Testar para executar a consulta e verificar se ela recupera as informações que você deseja.

    Caso você tenha definido um filtro que usa parâmetros inseridos por usuários, insira um valor na caixa Valor de teste e clique em OK. Caso uma ocorrência do conjunto de registros seja criada com êxito, uma tabela é exibida com os dados extraídos do conjunto.

  6. Clique em OK para adicionar o conjunto de registros à lista de fontes de conteúdo disponíveis no painel Ligações.

Opções da caixa de diálogo simples Conjunto de registros (PHP, ASP)

  1. Na caixa Nome, digite um nome para o conjunto de registros.

    Uma prática comum é adicionar o prefixo rs a nomes do conjunto de registros para diferenciá-los dos demais nomes de objeto no código, por exemplo: rsPressReleases.

    Os nomes do conjunto de registros só podem conter letras, números e o caractere de sublinhado (_). Você não pode usar caracteres especiais ou espaços.

  2. Selecione uma conexão no menu pop-up Conexão.

    Caso nenhuma conexão seja exibida na lista, clique em Definir para criar uma.

  3. No menu pop-up Tabela, selecione a tabela do banco de dados que fornecerá dados ao conjunto de registros.

    O menu pop-up exibe todas as tabelas no banco de dados específico.

  4. Para incluir um subconjunto das colunas da tabela no conjunto de registros, clique em Selecionado e escolha as colunas desejadas clicando nelas com a tecla Control pressionada (Windows) ou Command (Macintosh) na lista.

  5. Para limitar ainda mais os registros que a tabela retorna, complete a seção Filtro:

    • No primeiro menu pop-up, selecione uma coluna da tabela do banco de dados a ser comparada com um valor de teste que você define.

    • No segundo menu pop-up, selecione uma expressão condicional para comparar o valor selecionado em cada registro com o valor de teste.

    • No terceiro menu pop-up, selecione Valor digitado.

    • Na caixa, digite o valor de teste.

      Caso o valor especificado em um registro atenda à condição de filtragem, o registro é incluído no conjunto de registros.

  6. (Opcional) Para classificar os registros, selecione uma coluna para classificar e, em seguida, especifique se os registros devem ser classificados em ordem crescente (1, 2, 3... ou A, B, C...) ou em ordem decrescente.

  7. Clique em Testar para se conectar ao banco de dados e criar uma ocorrência da fonte de dados, e clique em OK para fechar a fonte de dados.

    Uma tabela é exibida com os dados retornados. Cada linha contém um registro e cada coluna representa um campo nesse registro.

  8. Clique em OK. O conjunto de registros recém-definido é exibido no painel Ligações.

Opções da caixa de diálogo simples Conjunto de registros (ColdFusion)

Defina um conjunto de registros para tipos de documento do ColdFusion como fonte de conteúdo dinâmico sem precisar codificar manualmente instruções SQL.

  1. Na caixa Nome, digite um nome para o conjunto de registros.

    Uma prática comum é adicionar o prefixo rs a nomes do conjunto de registros para diferenciá-los dos demais nomes de objeto no código. Por exemplo: rsPressReleases

    Os nomes do conjunto de registros só podem conter letras, números e o caractere de sublinhado (_). Você não pode usar caracteres especiais ou espaços.

  2. Caso você esteja definindo um conjunto de registros para um componente do ColdFusion (ou seja, caso um arquivo CFC esteja aberto no Dreamweaver no momento), selecione uma função CFC existente no menu pop-up Função ou clique no botão Nova função para criar uma nova função.

    Observação:

    O menu pop-up Função só está disponível caso um arquivo CFC seja o documento atual e você tenha acesso a um computador com o ColdFusion MX 7 ou melhor em execução.

    O conjunto de registros é definido na função.

  3. Selecione uma fonte de dados no menu pop-up Fonte de dados.

    Caso não haja nenhuma fonte de dados no menu pop-up, você cria uma fonte de dados do ColdFusion.

  4. Nas caixas Nome de usuário e Senha, digite o nome de usuário e a senha do servidor de aplicativo do ColdFusion, caso necessário.

    As fontes de dados do ColdFusion podem exigir um nome de usuário e senha no acesso. Caso você não tenha o nome de usuário e a senha para acessar uma fonte de dados no ColdFusion, entre em contato com o administrador do ColdFusion na organização.

  5. No menu pop-up Tabela, selecione a tabela do banco de dados que fornecerá dados ao conjunto de registros.

    O menu pop-up Tabela exibe todas as tabelas no banco de dados específico.

  6. Para incluir um subconjunto das colunas da tabela no conjunto de registros, clique em Selecionado e escolha as colunas desejadas clicando nelas com a tecla Control pressionada (Windows) ou Command (Macintosh) na lista.

  7. Para limitar ainda mais os registros que a tabela retorna, complete a seção Filtro:

    • No primeiro menu pop-up, selecione uma coluna da tabela do banco de dados a ser comparada com um valor de teste que você define.

    • No segundo menu pop-up, selecione uma expressão condicional para comparar o valor selecionado em cada registro com o valor de teste.

    • No terceiro menu pop-up, selecione Valor digitado.

    • Na caixa, digite o valor de teste.

      Caso o valor especificado em um registro atenda à condição de filtragem, o registro é incluído no conjunto de registros.

  8. (Opcional) Para classificar os registros, selecione uma coluna para classificar e, em seguida, especifique se os registros devem ser classificados em ordem crescente (1, 2, 3... ou A, B, C...) ou decrescente.

  9. Clique em Testar para se conectar ao banco de dados e criar uma ocorrência da fonte de dados.

    Uma tabela é exibida com os dados retornados. Cada linha contém um registro e cada coluna representa um campo nesse registro. Clique em OK para fechar o conjunto de registros de teste.

  10. Clique em OK. O conjunto de registros do ColdFusion recém-definido é exibido no painel Ligações.

Definir um conjunto de registros avançado escrevendo em SQL

Escreva instruções SQL próprias usando a caixa de diálogo avançada Conjunto de registros ou crie uma instrução SQL usando a árvore gráfica Itens do banco de dados.

  1. Na janela Documento, abra a página que usará o conjunto de registros.
  2. Selecione Janelas > Ligações para exibir o painel Ligações.
  3. No painel Ligações, clique no botão de adição (+) e selecione Conjunto de registros (consulta) no menu pop-up.

    A caixa de diálogo avançada Conjunto de registros é exibida. Caso você esteja desenvolvendo um site em ColdFusion, a caixa de diálogo Conjunto de registros muda um pouco. (Mas caso seja exibida a caixa de diálogo simples Conjunto de registros, alterne para a caixa de diálogo avançada Conjunto de registros clicando no botão Avançado.)

  4. Complete a caixa de diálogo avançada Conjunto de registros.

    Para obter instruções, consulte os tópicos abaixo.

  5. Clique no botão Testar para executar a consulta e verificar se ela recupera as informações que você deseja.

    Caso você tenha definido um filtro que use parâmetros inseridos pelos usuários, o botão Testar exibe a caixa de diálogo Valor de teste. Insira um valor na caixa Valor de teste e clique em OK. Caso uma ocorrência do conjunto de registros seja criada com êxito, uma tabela é exibida com os dados do conjunto.

  6. Clique em OK para adicionar o conjunto de registros à lista de fontes de conteúdo disponíveis no painel Ligações.

Opções da caixa de diálogo avançada Conjunto de registros (PHP, ASP)

Defina um conjunto de registros como fonte de conteúdo dinâmico escrevendo uma instrução SQL personalizada ou criando uma instrução SQL usando a árvore gráfica Itens do banco de dados.

  1. Na caixa Nome, digite um nome para o conjunto de registros.

    Uma prática comum é adicionar o prefixo rs a nomes do conjunto de registros para diferenciá-los dos demais nomes de objeto no código. Por exemplo: rsPressRelease

    Os nomes do conjunto de registros só podem conter letras, números e o caractere de sublinhado (_). Você não pode usar caracteres especiais ou espaços.

  2. Selecione uma conexão no menu pop-up Conexão.
  3. Insira uma instrução SQL na área de texto SQL ou use a árvore gráfica Itens do banco de dados na parte inferior da caixa de diálogo para criar uma instrução SQL usando o conjunto de registros escolhido.

    Faça o seguinte para usar a árvore Itens do banco de dados e criar a instrução SQL:

    • Verifique se a área de texto SQL está em branco.

    • Expanda as ramificações da árvore até localizar o objeto de banco de dados de que você precisa; uma coluna em uma tabela, por exemplo, ou um procedimento armazenado no banco de dados.

    • Selecione o objeto de banco de dados e clique em um dos botões no lado direito da árvore.

      Por exemplo, caso você selecione uma coluna da tabela, os botões disponíveis são SELECT, WHERE e ORDER BY. Clique em um dos botões para adicionar a cláusula associada à instrução SQL.

      Você também pode usar uma instrução SQL predefinida em um procedimento armazenado selecionando o procedimento armazenado na árvore Itens do banco de dados e clicando no botão Procedimento. O Dreamweaver preenche automaticamente as áreas SQL e Variável.

  4. Caso a instrução SQL contenha variáveis, defina os valores na área Variáveis clicando no botão de adição (+) e digitando o nome da variável, o tipo (inteira, texto, data ou número de ponto flutuante) o nome padrão (o valor que a variável deve usar caso nenhum valor de runtime retorne) e o valor de runtime.

    Observação:

    Quando usar variáveis em uma instrução SQL em PHP, o Dreamweaver adicionará automaticamente um símbolo de dólar ao nome da variável, portanto você deve omitir o sinal de dólar (por exemplo, colname, em vez de $colname).

    Caso a instrução SQL contenha variáveis, verifique se a coluna Valor padrão da caixa Variáveis contém valores de teste válidos.

    O valor de runtime costuma ser um parâmetro de URL ou de formulário inserido por um usuário em um campo de formulário em HTML.

    Parâmetros de URL na coluna Valor de runtime:

    Modelo do servidor

    Expressão do valor de runtime para o parâmetro de URL

    ASP

    Request.QueryString(“formFieldName”)

    PHP

    $_GET['formFieldName']

    Parâmetros de formulário na coluna Valor de runtime:

    Modelo do servidor

    Expressão do valor de runtime para o parâmetro de formulário

    ASP

    Request.Form(“formFieldName”)

    PHP

    $_POST['formFieldName']

  5. Clique em Testar para se conectar ao banco de dados e criar uma ocorrência do conjunto de registros.

    Caso a instrução SQL contenha variáveis, verifique se a coluna Valor padrão da caixa Variáveis contém valores de teste válidos antes de clicar em Testar.

    Caso haja êxito, uma tabela é exibida com os dados do conjunto de registros. Cada linha contém um registro e cada coluna representa um campo nesse registro. Clique em OK para limpar o conjunto de registros.

  6. Caso esteja satisfeito com o trabalho, clique em OK.

Opções da caixa de diálogo avançada Conjunto de registros (ColdFusion)

Use a caixa de diálogo avançada Conjunto de registros para escrever consultas SQL personalizadas ou use a árvore Itens do banco de dados para criar consultas SQL usando uma interface apontar e clicar.

  1. Na caixa Nome, digite um nome para o conjunto de registros.

    Uma prática comum é adicionar o prefixo rs a nomes do conjunto de registros para diferenciá-los dos demais nomes de objeto no código. Por exemplo: rsPressReleases

    Os nomes do conjunto de registros só podem conter letras, números e o caractere de sublinhado (_). Você não pode usar caracteres especiais ou espaços.

    Caso você esteja definindo um conjunto de registros para um componente do ColdFusion (ou seja, caso um arquivo CFC esteja aberto no Dreamweaver no momento), selecione uma função CFC existente no menu pop-up Função ou clique no botão Nova função para criar uma nova função.

    Observação:

    O menu pop-up Função só está disponível caso um arquivo CFC seja o documento atual e você tenha acesso a um computador com o ColdFusion MX 7 ou melhor em execução.

    O conjunto de registros é definido na função.

  2. Selecione uma fonte de dados no menu pop-up Fonte de dados.

    Se não houver nenhuma fonte de dados na lista do menu pop-up, você primeiramente precisará criar uma fonte de dados do ColdFusion.

  3. Nas caixas Nome de usuário e Senha, digite o nome de usuário e a senha do servidor de aplicativo do ColdFusion, caso necessário.

    As fontes de dados do ColdFusion podem exigir um nome de usuário e senha no acesso. Caso você não tenha o nome de usuário e a senha para acessar uma fonte de dados no ColdFusion, entre em contato com o administrador do ColdFusion na organização.

  4. Insira uma instrução SQL na área de texto SQL ou use a árvore gráfica Itens do banco de dados na parte inferior da caixa de diálogo para criar uma instrução SQL usando o conjunto de registros escolhido.
  5. (Opcional) Faça o seguinte para usar a árvore Itens do banco de dados e criar a instrução SQL:
    • Verifique se a área de texto SQL está em branco.

    • Expanda as ramificações da árvore até localizar o objeto de banco de dados de que você precisa; por exemplo, uma coluna de uma tabela.

    • Selecione o objeto de banco de dados e clique em um dos botões no lado direito da árvore.

    Por exemplo, caso você selecione uma coluna da tabela, os botões disponíveis são SELECT, WHERE e ORDER BY. Clique em um dos botões para adicionar a cláusula associada à instrução SQL.

    Caso a instrução SQL contenha parâmetros, defina os valores na área Parâmetros clicando no botão de adição (+) e digitando o nome do parâmetro e o nome padrão (o valor que o parâmetro deve usar caso nenhum valor de runtime retorne).

    Caso a instrução SQL contenha parâmetros, verifique se a coluna Valor padrão da caixa Parâmetros contém valores de teste válidos.

    Parâmetros de página permitem fornecer valores padrão para referências de valor de runtime no SQL que você escreve. Por exemplo, a seguinte instrução SQL seleciona um registro de funcionário com base no valor da ID do funcionário. Você pode atribuir um valor padrão ao parâmetro, verificando se um valor de runtime sempre retorna. Nesse exemplo, FormFieldName se refere a um campo de formulário em que o usuário insere a ID de um funcionário:

    SELECT * FROM Employees WHERE EmpID = + (Request.Form(#FormFieldName#))

    A caixa de diálogo Adicionar parâmetros de página teria um par nome/valor semelhante a:

    Nome

    Valores padrão

    FormFieldName

    0001

    O valor de runtime costuma ser um parâmetro de URL ou de formulário inserido por um usuário em um campo de formulário em HTML.

  6. Clique em Testar para se conectar ao banco de dados e criar uma ocorrência do conjunto de registros.

    Caso a instrução SQL contenha referências de runtime, verifique se a coluna Valor padrão do campo Parâmetros de página contém valores de teste válidos antes de clicar em Testar.

    Caso haja êxito, uma tabela é exibida com os dados do conjunto de registros. Cada linha contém um registro e cada coluna representa um campo nesse registro. Clique em OK para limpar o conjunto de registros.

  7. Caso esteja satisfeito com o trabalho, clique em OK.

Definir parâmetros em uma instrução SQL (ColdFusion)

Defina parâmetros em uma instrução SQL; o valor padrão é o valor que o parâmetro deve usar caso não retorne nenhum valor de runtime.

  1. Selecione um nome de parâmetro no menu pop-up Nome.
  2. Insira um valor padrão para o parâmetro na caixa Parâmetro padrão e clique em OK.

Definir parâmetros em uma instrução SQL (PHP)

Defina parâmetros em uma instrução SQL; o valor padrão é o valor que o parâmetro deve usar caso não retorne nenhum valor de runtime.

  1. Digite o nome de um parâmetro na caixa Nome.
  2. Insira um valor padrão para o parâmetro na caixa Parâmetro padrão.
  3. Insira um valor de runtime para um parâmetro na caixa Valor de runtime e clique em OK.

Criar consultas SQL usando a árvore Itens do banco de dados

Em vez de digitar manualmente as instruções SQL na caixa SQL, você pode usar a interface apontar e clicar de Itens do banco de dados para criar consultas SQL complexas. A árvore Itens do banco de dados permite selecionar objetos de banco de dados e vinculá-los usando cláusulas SQL SELECT, WHERE e ORDER BY. Depois de criar uma consulta SQL, você pode definir qualquer variável usando a área Variáveis da caixa de diálogo.

Os próximos dois exemplos descrevem duas instruções SQL e as etapas para criá-las usando a árvore Itens do banco de dados da caixa de diálogo avançada Conjunto de registros.

Exemplo: seleção de uma tabela

Este exemplo seleciona todo o conteúdo da tabela Funcionários. A instrução SQL que define a consulta é exibida da seguinte forma:

SELECT * FROM Employees

Para criar essa consulta, siga estas etapas.

  1. Expanda a ramificação Tabelas para exibir todas as tabelas no banco de dados selecionado.
  2. Selecione a tabela Funcionários.
  3. Clique no botão Selecionar.
  4. Clique em OK para adicionar o conjunto de registros ao painel Ligações.

Exemplo: seleção de linhas específicas de uma tabela e ordenação dos resultados

O seguinte exemplo seleciona duas linhas da tabela Funcionários e, depois, seleciona o tipo de trabalho usando uma variável que você deve definir. Em seguida, os resultados são ordenados pelo nome de funcionário.

SELECT emplNo, emplName 
FROM Employees 
WHERE emplJob = 'varJob' 
ORDER BY emplName
  1. Expanda a ramificação Tabelas para exibir todas as tabelas no banco de dados selecionado e, depois, expanda a tabela Funcionários para exibir as linhas da tabela individual.
  2. Crie a instrução SQL da seguinte forma:
    • Selecione emplNo e clique no botão Selecionar.

    • Selecione emplName e clique no botão Selecionar.

    • Selecione emplJob e clique no botão Onde.

    • Selecione emplName e clique no botão Ordenar por.

  3. Coloque o ponto de inserção depois de WHERE emplJob na área de texto SQL e digite ='varJob' (inclua o sinal de igual).
  4. Defina a variável 'varJob' clicando no botão de adição (+) da área Variáveis e inserindo os valores nas colunas Nome, Valor padrão e Valor de runtime: varJob, CLERK, Request("job").
  5. Clique em OK para adicionar o conjunto de registros ao painel Ligações.

Definir parâmetros de URL

Os parâmetros de URL armazenam informações recuperadas de entradas dos usuários. Antes de começar, verifique se você passou um parâmetro de formulário ou de URL ao servidor. Depois de definir a variável de URL, você pode usar seu valor na página selecionada no momento.

  1. Na janela Documento, abra a página que usará a variável.
  2. Selecione Janelas > Ligações para exibir o painel Ligações.
  3. No painel Ligações, clique no botão de adição (+) e selecione uma das seguintes opções no menu pop-up:

    Tipos de documento

    Item de menu no painel Ligações da variável de URL

    ASP

    Variável de solicitação > Request.QueryString

    ColdFusion

    Variável de URL

    PHP

    Variável de URL

  4. Na caixa de diálogo Variável de URL, digite o nome da variável de URL na caixa e clique em OK.

    O nome da variável de URL costuma ser o nome do campo de formulário em HTML ou do objeto usado para obter o valor.

  5. A variável de URL é exibida no painel Ligações.

Definir parâmetros de formulário

Os parâmetros de formulário armazenam informações recuperadas incluídas na solicitação HTTP de uma página da Web. Caso você crie um formulário que usa o método POST, os dados enviados pelo formulário são passados para o servidor. Antes de começar, verifique se você passou um parâmetro de formulário ao servidor. Depois de definir o parâmetro de formulário como fonte de conteúdo, você pode usar o valor na página.

  1. Na janela Documento, abra a página que usará a variável.
  2. Selecione Janelas > Ligações para exibir o painel Ligações.
  3. No painel Ligações, clique no botão de adição (+) e selecione uma das seguintes opções no menu pop-up:

    Tipos de documento

    Item de menu no painel Ligações da variável de formulário

    ASP

    Variável de solicitação > Request.Form

    ColdFusion

    Variável de formulário

    PHP

    Variável de formulário

  4. Na caixa de diálogo Variável de formulário, digite o nome da variável de formulário e clique em OK. O nome do parâmetro de formulário costuma ser o nome do campo de formulário em HTML ou do objeto usado para obter o valor.

    O parâmetro de formulário é exibido no painel Ligações.

    Painel Ligações com formulário expandido
    Painel Ligações com formulário expandido

Definir variáveis de sessão

Você pode usar variáveis de sessão para armazenar e exibir informações mantidas durante a visita de um usuário (ou sessão). O servidor cria um objeto de sessão diferente para cada usuário e o mantém durante um período estabelecido ou até que o objeto seja encerrado explicitamente.

Antes de definir variáveis de sessão para uma página, você deve criá-las no código-fonte. Depois de criar uma variável de sessão no código-fonte do aplicativo da Web, você pode usar o Dreamweaver para recuperar seu valor e usá-lo em uma página da Web.

  1. Crie uma variável de sessão no código-fonte e atribua um valor a ela.

    Por exemplo, esse modelo do ColdFusion instancia uma sessão chamada username e atribui a ela o valor Cornelius:

    <CFSET session.username = Cornelius>
  2. Selecione Janela > Ligações para exibir o painel Ligações.
  3. Clique no botão de adição (+) e selecione Variável de sessão no menu pop-up.
  4. Digite o nome da variável que você definiu no código-fonte do aplicativo e clique em OK.

Definir variáveis de aplicativo para o ASP e o ColdFusion

No ASP e no ColdFusion, você pode usar variáveis de aplicativo para armazenar e exibir informações mantidas durante a vida útil do aplicativo e que se mantêm de usuário para usuário. Depois de definir a variável de aplicativo, você pode usar o valor em uma página.

Observação:

Não há objetos de variável de aplicativo em PHP.

  1. Abra um tipo de documento dinâmico na janela Documento.
  2. Selecione Janela > Ligações para exibir o painel Ligações.
  3. Clique no botão de adição (+) e selecione Variável de aplicativo no menu pop-up.
  4. Digite o nome da variável como você o definiu no código-fonte do aplicativo e clique em OK.

    A variável de aplicativo é exibida no painel Ligações, no ícone Aplicativo.

    Painel Ligações com aplicativo expandido
    Painel Ligações com aplicativo expandido

Usar uma variável como fonte de dados para um conjunto de registros do ColdFusion

Quando você define um conjunto de registros no painel Ligações, o Dreamweaver informa o nome da fonte de dados do ColdFusion na tag cfquery da página. Para obter mais flexibilidade, você pode armazenar um nome de fonte de dados em uma variável e usar a variável na tag cfquery. O Dreamweaver fornece um método visual de especificação dessa variável nos conjuntos de registros.

  1. Verifique se uma página do ColdFusion está ativa na janela Documento.
  2. No painel Ligações, clique no botão de adição (+) e selecione Variável de nome da fonte de dados no menu pop-up.

    A caixa de diálogo Variável de nome da fonte de dados é exibida.

  3. Defina uma variável e clique em OK.
  4. Ao definir o conjunto de registros, selecione a variável como fonte de dados do conjunto de registros.

    Na caixa de diálogo Conjunto de registros, a variável é exibida no menu pop-up Fonte de dados com as fontes de dados do ColdFusion no servidor.

  5. Complete a caixa de diálogo Conjunto de registros e clique em OK.
  6. Inicialize a variável.

    O Dreamweaver não inicializa a variável para que você possa inicializá-la como e onde desejar. Você pode inicializar a variável no código da página (antes da tag cfquery), em um arquivo de inclusão ou em algum outro arquivo como uma variável de sessão ou de aplicativo.

Definir variáveis de servidor

Você define variáveis de servidor como fontes de conteúdo dinâmico a serem usadas dentro de um aplicativo da Web. As variáveis de servidor variam de acordo com o tipo de documento e entre elas estão variáveis de formulário, de URL, de sessão e de aplicativo.

As variáveis de servidor podem ser acessadas por todos os clientes que acessam o servidor e por qualquer aplicativo em execução no servidor. As variáveis persistem até a parada do servidor.

Definir variáveis de servidor do ColdFusion

  1. Abra o painel Ligações (Janela > Ligações). Na caixa de diálogo Variável de servidor, digite o nome da variável de servidor e clique em OK.
  2. Clique no botão de adição (+) e selecione a variável de sessão no menu pop-up.
  3. Digite o nome da variável e clique em OK. A variável de servidor do ColdFusion é exibida no painel Ligações.

A seguinte tabela lista as variáveis de servidor do ColdFusion incorporadas:

Variável

Descrição

Server.ColdFusion.ProductName

Nome de produto do ColdFusion.

Server.ColdFusion.ProductVersion

Número da versão do ColdFusion.

Server.ColdFusion.ProductLevel

Edição do ColdFusion (Enterprise, Professional).

Server.ColdFusion.SerialNumber

Número de série da versão atualmente instalada do ColdFusion.

Server.OS.Name

Nome do sistema operacional em execução no servidor (Windows XP, Windows 2000, Linux).

Server.OS.AdditionalInformation

Informações adicionais sobre o sistema operacional instalado (service packs, atualizações).

Server.OS.Version

Versão do sistema operacional instalado.

Server.OS.BuildNumber

Versão da compilação do sistema operacional instalado.

Definir uma variável local do ColdFusion

Variáveis locais são variáveis criadas com a tag CFSET ou CFPARAM dentro de uma página do ColdFusion. A variável local definida é exibida no painel Ligações.

  1. Na caixa de diálogo Variável local, digite o nome da variável local e clique em OK.

Definir variáveis de servidor do ASP

Você pode definir as seguintes variáveis de servidor do ASP como fontes de conteúdo dinâmico: Request.Cookie, Request.QueryString, Request.Form, Request.ServerVariables e Request.ClientCertificates.

  1. Abra o painel Ligações (Janela > Ligações).
  2. Clique no botão de adição (+) e selecione Variável de solicitação no menu pop-up.
  3. Na caixa de diálogo Variável de solicitação, selecione um dos seguintes conjuntos de solicitação no menu pop-up Tipo:

    O conjunto QueryString

    Recupera informações acrescentadas ao URL da página de envio como, por exemplo, quando a página tem um formulário em HTML usando o método GET. A sequência de caracteres de consulta consiste em um ou mais pares nome/valor (por exemplo, last=Smith, first=Winston) acrescentados ao URL com um ponto de interrogação (?). Caso a sequência de caracteres de consulta tenha mais de um par nome/valor, são inseridos sinais de e comercial (&).

    O conjunto Form

    Recupera informações de formulário incluídas no corpo da solicitação HTTP por formulário HTTP usando o método POST.

    O conjunto ServerVariables

    Recupera os valores de variáveis de ambiente predefinidas. O conjunto tem uma lista de variáveis longa, inclusive CONTENT_LENGTH (o comprimento do conteúdo enviado na solicitação HTTP, que você pode usar para ver se um formulário está vazio) e HTTP_USER_AGENT (fornece informações sobre o navegador do usuário).

    Por exemplo, Request.ServerVariables("HTTP_USER_AGENT") contém informações sobre o navegador responsável pela solicitação como, por exemplo, Mozilla/4.07 [en] (WinNT; I), que indica um navegador Netscape Navigator 4.07.

    Para obter uma lista completa das variáveis de ambiente do servidor do ASP, consulte a documentação online instalada com o Microsoft Personal Web Server (PWS) ou o Internet Information Server (IIS).

    O conjunto Cookies

    Recupera os valores dos cookies enviados em uma solicitação HTTP. Por exemplo, suponhamos que na página haja um cookie chamado "readMe" no sistema do usuário. No servidor, os valores do cookie são armazenados na variável Request.Cookies("readMe").

    O conjunto ClientCertificate

    Recupera os campos de certificação da solicitação HTTP enviada pelo navegador. Os campos de certificação são especificados no padrão X.509.

  4. Especifique a variável no conjunto que você deseja acessar e clique em OK.

    Por exemplo, caso você acesse as informações na variável Request.ServerVariables("HTTP_USER_AGENT"), insira o argumento HTTP_USER_AGENT. Caso você queira acessar as informações na variável Request.Form("lastname"), insira o argumento lastname.

    A variável de solicitação é exibida no painel Ligações.

Definir variáveis de servidor PHP

Defina as variáveis de servidor como uma fonte de conteúdo dinâmico para páginas em PHP. As variáveis de servidor do PHP são exibidas no painel Ligações.

  1. Abra o painel Ligações (Janela > Ligações).
  2. Clique no botão de adição (+) e selecione a variável no menu pop-up.
  3. Na caixa de diálogo Variável de solicitação, digite o nome da variável (por exemplo, REQUEST_METHOD) e clique em OK.

    Para obter mais informações, procure pela palavra-chave $_SERVER na documentação do PHP.

Definir uma variável de cliente do ColdFusion

Defina uma variável de cliente do ColdFusion como uma fonte de conteúdo dinâmico para a página. As variáveis de cliente do ColdFusion recém-definidas são exibidas no painel Ligações.

  1. Na caixa de diálogo Variável de cliente, digite o nome da variável e clique em OK.

    Por exemplo, para acessar as informações na variável Client.LastVisit do ColdFusion, insira LastVisit.

    Variáveis de cliente são variáveis criadas no código para associar dados a um cliente específico. As variáveis de cliente mantêm o estado do aplicativo enquanto o usuário se move uma página para outra no aplicativo, bem como de uma sessão para outra.

    As variáveis de cliente podem ser definidas pelo usuário ou incorporadas. A seguinte tabela lista as variáveis de cliente do ColdFusion incorporadas:

    Variável

    Descrição

    Client.CFID

    Outra ID para cada cliente que se conecta ao servidor.

    Client.CFTOKEN

    Um número gerado aleatoriamente usado exclusivamente para identificar um cliente em especial.

    Client.URLToken

    Uma combinação entre CFID e CFTOKEN a ser passada entre os modelos quando os cookies não forem usados.

    Client.LastVisit

    Registra o carimbo de data/hora da última visita que um cliente fez.

    Client.HitCount

    O número de solicitações de página vinculadas a um único cliente (controlado por CFID e CFTOKEN).

    Client.TimeCreated

    Registra o carimbo de data/hora quando CFID e CFTOKEN foram criados inicialmente para um determinado cliente.

As variáveis de cookie são criadas no código e acessam informações contidas em cookies passadas para o servidor por um navegador. A variável de cookie definida é exibida no painel Ligações.

  1. Na caixa de diálogo Variável de cookie, digite o nome da variável de cookie e clique em OK.

Definir uma variável CGI do ColdFusion

A variável CGI definida é exibida no painel Ligações.

  1. Na caixa de diálogo Variável CGI, digite o nome da variável e clique em OK.

    Por exemplo, caso você acesse as informações na variável CGI.HTTP_REFERER, insira HTTP_REFERER.

    A seguinte tabela lista as variáveis CGI do ColdFusion mais comuns criadas no servidor:

    Variável

    Descrição

    SERVER_SOFTWARE

    O nome e a versão do software do servidor das informações que atende à solicitação (no qual o gateway está em execução). Formato: nome/versão.

    SERVER_NAME

    O nome de host do servidor, a cópia do DNS ou o endereço IP como ele é exibido nos URLs de autorreferência.

    GATEWAY_INTERFACE

    A revisão da especificação de CGI com a qual o servidor é compatível. Formato: CGI/revisão.

    SERVER_PROTOCOL

    O nome e a revisão do protocolo de informações que acompanha a solicitação. Formato: protocolo/revisão.

    SERVER_PORT

    O número da porta para o qual a solicitação foi enviada.

    REQUEST_METHOD

    O método com o qual a solicitação foi feita. Para HTTP, os métodos são Get, Head, Post etc.

    PATH_INFO

    As informações adicionais do caminho dadas pelo cliente. Os scripts podem ser acessados pelo nome do caminho virtual, seguido de informações adicionais ao final dele. As informações adicionais são enviadas como PATH_INFO.

    PATH_TRANSLATED

    O servidor fornece uma versão traduzida de PATH_INFO, que usa o caminho e faz um mapeamento virtual/físico para ele.

    SCRIPT_NAME

    Um caminho virtual até o script em execução; usado em URLs de autorreferência.

    QUERY_STRING

    As informações de consulta após o ponto de interrogação (?) no URL que referencia o script.

    REMOTE_HOST

    O nome de host que realiza a solicitação. Caso não tenha essas informações, o servidor define REMOTE_ADDR, e não REMOTE_HOST.

    REMOTE_ADDR

    O endereço IP do host remoto que faz a solicitação.

    AUTH_TYPE

    Caso o servidor dê suporte à autenticação do usuário e o script esteja protegido, trata-se do método de autenticação específico do protocolo usado para validar o usuário.

    REMOTE_USER AUTH_USER

    Caso o servidor dê suporte à autenticação do usuário e o script esteja protegido, trata-se do nome de usuário da autenticação. (Também disponível como AUTH_USER.)

    REMOTE_IDENT

    Caso o servidor HTTP dê suporte à identificação RFC 931, a variável é definida como o nome do usuário remoto recuperado do servidor. Use a variável apenas no logon.

    CONTENT_TYPE

    Em consultas que tenham informações anexadas como, por exemplo, HTTP POST e PUT, trata-se do tipo de conteúdo dos dados.

    CONTENT_LENGTH

    O comprimento do conteúdo conforme indicado pelo cliente.

    A seguinte tabela lista as variáveis CGI mais comuns criadas pelo navegador e passadas para o servidor:

    Variável

    Descrição

    HTTP_REFERER

    O documento de referência. Trata-se do documento de vínculo ou de envio dos dados do formulário.

    HTTP_USER_AGENT

    O navegador que o cliente está usando no momento para enviar a solicitação. Formato: software/biblioteca da versão/versão.

    HTTP_IF_MODIFIED_SINCE

    A hora em que a página foi modificada pela última vez. A variável é enviada no momento em que o navegador desejar, normalmente em resposta ao servidor que enviou o cabeçalho HTTP LAST_MODIFIED. Ela pode ser usada para aproveitar o cache do navegador.

Colocar em cache fontes de conteúdo

Você pode colocar em cache, ou armazenar, fontes de conteúdo dinâmico em uma Design Note. Isso permite trabalhar em um site mesmo que você não tenha acesso ao banco de dados ou ao servidor de aplicativo que armazena as fontes de conteúdo dinâmico. A colocação em cache também pode agilizar o desenvolvimento com a eliminação de acessos repetidos em uma rede ao banco de dados e ao servidor de aplicativo.

  1. Clique no botão de seta no canto superior direito do painel Ligações e escolha Colocar em cache no menu pop-up.

Caso faça alterações em uma das fontes de conteúdo, você pode atualizar o cache clicando no botão Atualizar (o ícone de seta circular) no canto superior direito do painel Ligações. (Expanda o painel caso você não veja o botão.)

Alterar ou excluir fontes de conteúdo

Você pode alterar ou excluir qualquer fonte de conteúdo dinâmico existente, ou seja, qualquer fonte de conteúdo listada no painel Ligações.

A alteração ou a exclusão de uma fonte de conteúdo no painel Ligações não altera ou exclui nenhuma ocorrência do conteúdo na página. Isso apenas o altera ou exclui como uma possível fonte de conteúdo da página.

Alterar uma fonte de conteúdo no painel Ligações

  1. No painel Ligações (Janela > Ligações), clique duas vezes no nome da fonte de conteúdo que você deseja editar.
  2. Faça suas alterações na caixa de diálogo exibida.
  3. Caso esteja satisfeito com o trabalho, clique em OK.

Excluir uma fonte de conteúdo do painel Ligações

  1. No painel Ligações (Janela > Ligações), selecione a fonte de conteúdo na lista.
  2. Clique no botão de subtração (-).

Copiar um conjunto de registros de uma página para outra

Você pode copiar um conjunto de registros de uma página para outra dentro de um site definido.

  1. Selecione o conjunto de registros no painel Ligações ou no painel Comportamentos de servidor.
  2. Clique com o botão direito do mouse no conjunto de registros e selecione Copiar no menu pop-up.
  3. Abra a página para a qual você deseja copiar o conjunto de registros.
  4. Clique com o botão direito do mouse no painel Ligações ou na barra de ferramentas Comportamentos de servidor e selecione Colar no menu pop-up.

Esta obra está licenciada sob uma licença não adaptada da Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 3.0  As publicações do Twitter™ e do Facebook não são cobertas pelos termos do Creative Commons.

Avisos legais   |   Política de privacidade online