O Adobe Animate pode incorporar gravações em vídeo em apresentações da Web. Os formatos de vídeo FLV e F4V (H.264) oferecem benefícios tecnológicos e criativos que permitem unir vídeos a dados, gráficos, som e controle interativo. Os vídeos em FLV e F4V permitem colocar vídeos em páginas da Web em um formato que pode ser visualizado por praticamente qualquer pessoa.

O modo escolhido para implantar o vídeo determina o modo como o conteúdo do vídeo é criado e é integrado ao Animate. É possível incorporar o vídeo ao Animate das seguintes maneiras:

Fluxo de vídeo com o Adobe Media Server

Você pode hospedar o conteúdo de vídeo no Adobe® Media Server, uma solução de servidor otimizada para produzir mídia em tempo real. O Adobe Media Server usa o Real-Time Messaging Protocol (RTMP), um protocolo projetado para aplicações de servidor em tempo real, como fluxo de vídeo e conteúdo de áudio. Você pode hospedar seu próprio Adobe Media Server ou utilizar um FVSS (Flash® Video® Streaming Service). A Adobe tem parcerias com vários provedores de CDN (Content Delivery Network, provedor de distribuição de conteúdo) para oferecer serviços hospedados para fornecimento de vídeo FLV ou F4V por demanda, em redes confiáveis de alto desempenho. Criado com o Adobe Media Server e integrado diretamente à infraestrutura de distribuição, controle e relatório da rede CDN, o FVSS oferece a maneira mais eficiente de distribuir os arquivos FLV ou F4V ao maior público-alvo possível, sem prejudicar a configuração e a manutenção do hardware e da rede do servidor de fluxo.

Para controlar a reprodução de vídeo e fornecer controles intuitivos para usuários interagirem com o fluxo de vídeo, use o componente FLVPlayback, o Adobe® ActionScript® ou o Open Source Media Framework (OSMF). Para obter mais informações sobre o uso do OSMF, consulte Documentação do OSMF.

Download progressivo de vídeo a partir de um servidor Web

Se você não tiver acesso ao Adobe Media Server (FVSS), ou se as necessidades do vídeo forem para um site de baixo volume com quantidades apenas limitadas de conteúdo de vídeo, você pode pensar em usar o download progressivo. O download progressivo de um clipe de vídeo de um servidor Web não oferece o desempenho em tempo real oferecido pelo Adobe Media Server; no entanto, é possível usar os clipes de vídeo relativamente grandes e manter o tamanho mínimo dos arquivos SWF publicados.

Para controlar a reprodução dos vídeos e fornecer controles intuitivos para que os usuários interajam com o vídeo, use o componente FLVPlayback ou o ActionScript.

Incorporação de vídeo em um documento do Animate

Você pode incorporar um arquivo de vídeo pequeno, de curta duração, diretamente no documento do Animate e publicá-lo como parte do arquivo SWF. A incorporação de conteúdo de vídeo diretamente no arquivo SWF do Animate aumenta significativamente o tamanho do arquivo publicado. Ela é adequada apenas para arquivos pequenos de vídeo (normalmente com duração inferior a 10 segundos). Além disso, a sincronização de áudio para vídeo (também conhecida como sinc. áudio/vídeo) pode ser prejudicada ao usar clipes de vídeo maiores incorporados no documento do Animate. Outra desvantagem de incorporar vídeo ao arquivo SWF é que você não pode atualizar o vídeo sem republicar o arquivo SWF.

Observação:

Ao tentar publicar o FLA com conteúdo de vídeo H264 em uma camada que não é uma camada guia nem uma camada oculta, uma mensagem de aviso aparece informando que a plataforma na qual você está publicando não comporta a incorporação de vídeos H.264.

Controlar reprodução de vídeo

Você pode controlar a reprodução de vídeo no Animate usando o componente FLVPlayback, gravando um ActionScript personalizado para reproduzir um fluxo de vídeo externo ou gravando um ActionScript personalizado para controlar a reprodução de vídeo na Linha do tempo do vídeo incorporado.

Componente FLVPlayback

Permite adicionar rapidamente um controle de reprodução FLV completo para o documento do Animate e permite o download progressivo e para os arquivos FLV ou de F4V fluxo. O FLVPlayback permite criar facilmente controles de vídeo intuitivo para que usuários controlem a reprodução de vídeo e apliquem capas criadas anteriormente, ou apliquem capas personalizadas à interface de vídeo. Para obter mais informações, consulte O componente FLVPlayback.

Open Source Media Framework (OSMF)

O OSMF permite aos desenvolvedores escolher e combinar facilmente componentes conectáveis para criar experiências de reprodução de alta qualidade e repletas de recursos. Para obter mais informações, consulte a documentação do OSMF

Controlar vídeo externo usando o ActionScript

Reproduza arquivos FLV ou F4V externos em um documento do Animate no tempo de execução usando os objetos NetConnection e NetStream do ActionScript. Para obter mais informações, consulte Controle de reprodução de vídeo externo com o ActionScript.

É possível usar comportamentos de vídeo (scripts pré-gravados do ActionScript) para controlar a reprodução de vídeo.

Controla vídeo incorporado na Linha do tempo

Para controlar a reprodução de arquivos de vídeo incorporado, você deve gravar o ActionScript para controlar a Linha do tempo que contém o vídeo. Para obter mais informações, consulte Controle de reprodução de vídeo usando a Linha do tempo.

O Assistente de Importação de Vídeo

O Assistente de Importação de Vídeo simplifica a importação do vídeo usando um documento do Animate. Ele guia você pelo processo de seleção de um arquivo de vídeo existente e importa o arquivo para uso em um dos três cenários diferentes de reprodução de vídeo. O Assistente de Importação de Vídeo fornece um nível básico de configuração para o método de importação e reprodução por você escolhido, que você pode modificar depois de acordo com suas necessidades específicas.

A caixa de diálogo Importar vídeo fornece estas opções de importação:

Carregar vídeo externo com o componente de reprodução

Importa o vídeo e cria uma instância do componente FLVPlayback para controlar a reprodução do vídeo. Quando estiver pronto para publicar o documento do Animate como SWF e enviá-lo para seu servidor da Web, você também deve fazer upload do arquivo de vídeo para um servidor Web ou para o Adobe Media Server, além de configurar o componente FLVPlayback com o local do arquivo de vídeo enviado.

Incorporar FLV no SWF e reproduzir na linha do tempo

Incorpora o FLV no documento do Animate. Quando o vídeo é importado dessa maneira, ele é colocado na Linha do tempo, na qual é possível visualizar os quadros de vídeo individuais representados nos quadros da Linha do tempo. Um arquivo de vídeo FLV incorporado torna-se parte do documento do Animate.

Observação: a incorporação de conteúdo de vídeo diretamente no arquivo SWF do Animate aumenta significativamente o tamanho do arquivo publicado. Ela é adequada apenas para arquivos pequenos de vídeo. Além disso, a sincronização de áudio para vídeo (também conhecida como sinc. áudio/vídeo) pode ser prejudicada ao usar clipes de vídeo maiores incorporados no documento Animate.

Incorporar vídeo H.264 na linha do tempo

Incorpora vídeos H.264 ao documento Animate. Ao importar um vídeo utilizando esta opção, é possível inseri-lo no palco para ser utilizado como um guia para a animação no tempo de criação. Os quadros do vídeo serão renderizados no palco enquanto você apaga ou reproduz a linha do tempo. O áudio dos quadros relevantes também será reproduzido.

Observação:

  •  Ao tentar publicar o FLA com conteúdo de vídeo H264 em uma camada que não é uma camada guia nem uma camada oculta, uma mensagem de aviso aparece informando que a plataforma na qual você está publicando não comporta a incorporação de vídeos H.264.

Formatos de vídeo e Animate

Para importar vídeo para o Animate, você deve usar vídeo codificado no formato FLV ou H.264. O Assistente de Importação de Vídeo (Arquivo > Importar > Importar vídeo) verifica os arquivos de vídeo que você seleciona para importar e emite um alerta se o vídeo não estiver em um formato que o Animate possa reproduzir. Caso o vídeo não esteja no formato FLV nem no formato F4V, é possível usar o Adobe® Media® Encoder para codificar o vídeo no formato apropriado.

Adobe Media Encoder

Adobe® Media® Encoder é um aplicativo de codificação independente empregado por programas como Adobe® Premiere® Pro, Adobe® Soundbooth® e Animate para impressão de certos formatos de mídia. Dependendo do programa, o Adobe Media Encoder oferece uma caixa de diálogo especializada Exportar configurações que acomoda as inúmeras configurações associadas com certos formatos de exportação, como Adobe Flash Video e H.264. Para cada formato, a caixa de diálogo Exportar configurações inclui uma série de predefinições que são personalizadas para uma mídia de entrega em particular. Também é possível salvar as predefinições personalizadas, que você pode armazenar com outras pessoas ou recarregar conforme necessário.

Para obter mais informações sobre a codificação de vídeos no formato H.264 ou F4V com o Adobe Media Encoder, consulte Utilização do Adobe Media Encoder.

Os codecs de vídeo H.264, On2 VP6 e Sorenson Spark

Ao codificar vídeos usando o Adobe Media Encoder, é possível optar entre três codecs de vídeo diferentes para codificar seu conteúdo de vídeo e usar com o Animate:

H.264

Foi incorporado o suporte ao codec de vídeo H.264 no Flash Player, desde a versão 9.0.r115. O formato de vídeo F4V que utiliza esse codec oferece uma taxa de bits de qualidade significativamente melhor do que a de codecs de vídeo anteriores do Flash, contudo, ele é mais exigente em termos computacionais do que os codecs de vídeo Sorenson Spark e On2 VP6, lançados com o Flash Player 7 e 8.

Observação: se precisar usar vídeo com suporte para canal alfa para composição, use o codec de vídeo On2 VP6, visto que o F4V não oferece suporte a canais de vídeo alfa.

On2 VP6

O codec On2 VP6 é o codec de vídeo recomendado para ser usado para criação de arquivos FLV que se pretenda usar com o Flash Player 8 e superior. O codec On2 VP6 oferece:

  • Maior qualidade de vídeo, quando comparado ao codec Sorenson Spark codificado na mesma taxa de quadros

  • Suporte para o uso de um canal alfa de 8 bits para vídeo composto

    Para oferecer suporte a vídeo de melhor qualidade na mesma taxa de quadros, o codec On2 VP6 é perceptivelmente mais lento para codificar, e requer mais trabalho do processador no computador cliente para decodificar e reproduzir. Por isso, leve cuidadosamente em consideração o padrão de computador que será utilizado pelo público-alvo para acessar o conteúdo do vídeo FLV.

Sorenson Spark

Adicionado ao Flash Player 6, o codec de vídeo Sorenson Spark deve ser usado, caso você pretenda publicar documentos Animate que exijam compatibilidade anterior com as versões do Flash Player 6 e 7. Se você prevê uma grande base de usuários que utilize computadores mais antigos, prefira a codificação de arquivos FLV com o codec Sorenson Spark, já que ele é muito menos exigente em termos computacionais para reprodução do que os codecs On2 VP6 ou H.264.

Se o conteúdo do Animate carrega vídeo dinamicamente do Flash Professional (utilizando download progressivo ou o Adobe Media Server), é possível usar o vídeo On2 VP6 sem a necessidade de tornar a publicar o arquivo SWF criado originalmente para uso com o Flash Player 6 ou 7, desde que os usuários utilizem o Flash Player 8 ou posterior para exibir o conteúdo. O fluxo ou o download de vídeo On2 VP6 para SWF do Animate versões 6 ou 7 e a reprodução de conteúdo usando o Flash Player 8 ou posterior eliminam a necessidade de recriar os arquivos SWF para uso com o Flash Player 8 ou versões posteriores.

Observação:

Apenas os Flash Player 8 e 9 oferecem suporte à publicação e à reprodução de vídeo On2 VP6.

Codec

Versão SWF (versão de publicação)

Versão do Flash Player (necessária para reprodução)

Sorenson Spark

6

6, 7, 8

7

7, 8, 9, 10

On2 VP6

6, 7, 8

8, 9, 10

H.264

9.2 ou posterior

9.2 ou posterior

Dicas para criar vídeo FLV e F4V no Adobe

Siga estas orientações para produzir o melhor vídeo FLV ou F4V possível:

Trabalhe com o vídeo no formato nativo do projeto até a saída final

Se um formato de vídeo digital pré-compactado for convertido em outro formato, como o FLV ou F4V, o codificador anterior pode introduzir ruído de vídeo. O primeiro compactador já aplicou seu algoritmo de codificação ao vídeo, reduzindo a qualidade, o tamanho do quadro e a taxa. Essa compactação também pode ter introduzido ruídos ou artefatos digitais. Esse ruído adicional afeta o processo de codificação final e uma taxa de dados maior pode ser necessária para codificar um arquivo de boa qualidade.

Mantenha a simplicidade

Evite transições elaboradas - elas não compactam bem e podem deixar o vídeo compactado final com uma aparência "espessa" durante a mudança. Cortes fixos (em contraposição às dissolvências) geralmente são melhores. Sequências de vídeo atraentes (por exemplo, mostrar a aproximação de um objeto desde a primeira faixa, fazer uma "página aberta" ou terminar como uma bola e sair de cena) não são bem compactadas e devem ser pouco usadas.

Conheça a taxa de dados de seu público-alvo

Ao fornecer vídeos para a Internet, produza arquivos com taxas de dados menores. Os usuários com conexões rápidas de Internet podem visualizar os arquivos com pouco ou nenhum atraso para o carregamento, mas o usuário com conexão discada devem aguardar o download dos arquivos. Faça clipes curtos para manter os tempos de download dentro dos limites aceitáveis para os usuários com conexão discada.

Selecione a taxa de quadro adequada

A taxa de quadro indica os quadros por segundo (fps). Se você tiver um clique com taxa de dados maior, uma taxa de quadro menor pode melhorar a reprodução por meio da largura de banda limitada. Por exemplo, se estiver compactando um clipe com pouca movimentação, o corte ao meio da taxa de quadro provavelmente economizará apenas 20% da taxa de dados. No entanto, se estiver compactando vídeos com muita movimentação, a redução da taxa de quadro terá um efeito muito maior na taxa de dados.

Como o vídeo parece muito melhor nas taxas de quadro nativas, deixe a taxa de quadro alta se os canais de distribuição e as plataformas de reprodução permitirem. Para a distribuição da Web, não se esqueça desse detalhe no serviço de hospedagem. Para os dispositivos móveis, use predefinições de codificação específicas do dispositivo e o emulador disponível através do Adobe Media Encoder no Adobe Premiere Pro. Se precisar reduzir a taxa de quadro, os melhores resultados são obtidos pela divisão da taxa por números inteiros.

Selecione um tamanho de quadro que se ajuste em sua taxa de dados e proporção de quadros

Em uma taxa de dados específica (velocidade de conexão), aumentar o tamanho do quadro diminui a qualidade do vídeo. Ao selecionar o tamanho do quadro para suas configurações de codificação, considere a taxa de quadro, o material de origem e as preferências pessoais. Para evitar a formação de pillarbox, é importante escolher um tamanho de quadro da mesma proporção da gravação da origem. Por exemplo, haverá pillarbox se a gravação NTSC for codificada em um tamanho de quadro PAL.

O Adobe Media Encoder disponibiliza diversas predefinições de vídeo FLV ou F4V do Adobe. Entre elas, tamanhos e taxas de quadro predefinidos para os diferentes padrões de televisão em diferentes taxas de dados. Use a seguinte lista de tamanhos de quadro comuns (em pixels) como referência ou experimente as várias predefinições do Adobe Media Encoder para encontrar a melhor configuração para seu projeto.

Modem dial-up NTSC 4 x 3

162 x 120

Modem dial-up PAL 4 x 3

160 x 120

T1/DSL/cabo NTSC 4 x 3

648 x 480

T1/DSL/cabo PAL 4 x 3

768 x 576

Dinamize para obter o melhor desempenho

Para eliminar o tempo de download, fornecer uma interatividade profunda e capacidades de navegação, ou monitorar a qualidade do serviço, reproduza em fluxo de vídeo os vídeos FLV ou F4V com o Adobe Media Server ou use o serviço hospedado de um dos parceiros de Flash Video Streaming Service da Adobe disponível no site da Adobe. Para obter mais informações sobre a diferença entre download progressivo e dinamização com o servidor Adobe Media Server, consulte “Delivering Flash Video: Understanding the Difference Between Progressive Download and Streaming Video” no site do Flash Developer Center.

Saiba quais são os tempos de download progressivos

Saiba quanto tempo leva para fazer o download do vídeo de modo que seja possível reproduzi-lo até o fim sem pausar ou interromper o download. Embora a primeira parte do vídeo seja baixada, talvez você queira exibir outros conteúdos que encubram o download. Para clipes curtos, use a seguinte fórmula: Pausa = tempo de download – tempo de reprodução + 10% do tempo de reprodução. Por exemplo, se o clipe tem 30 segundos e demora 1 minuto para ser baixado, coloque no clipe um buffer de 33 segundos (60 segundos - 30 segundos + 3 segundos = 33 segundos).

Remova o ruído e o entrelaçamento

Para obter a melhor codificação, talvez seja necessário remover o ruído e o entrelaçamento.

Quanto melhor a qualidade do original, melhor o resultado final. Embora as taxas de quadro e os tamanhos de vídeo da Internet normalmente sejam menores do que os da televisão, os monitores de computador têm fidelidade de cores, saturação, nitidez e resolução muito melhores do que as televisões convencionais. Mesmo em uma pequena janela, a qualidade da imagem pode ser mais importante para o vídeo digital do que para a televisão analógica padrão. Artefatos e ruídos que são despercebidos na TV podem ser óbvios em uma tela de computador.

O Adobe Animate foi desenvolvido para a exibição progressiva em telas de computador e outros dispositivos, e não para exibições entrelaçadas, como as TVs. A gravação entrelaçada visualizada em uma exibição progressiva pode mostrar linhas verticais oscilantes em áreas de grande movimentação. Dessa forma, o Adobe Media Encoder remove o entrelaçamento de todas as gravações de vídeo processadas.

Siga as mesmas orientações para o áudio

As mesmas considerações devem ser aplicadas tanto na produção de áudio quanto na produção de vídeo. Para conseguir uma boa compactação de áudio, comece com um áudio claro. Se estiver codificando o material de um CD, tente gravar o arquivo usando transferência digital direta em vez de usar a entrada analógica da placa de som. A placa de som introduz uma conversão digital - analógico e analógico - digital desnecessário que pode criar ruídos no áudio de origem. As ferramentas de transferência digital direta estão disponíveis para as plataformas Windows e Macintosh. Para gravar de uma origem analógica, use a placa de som com a melhor qualidade disponível.

Observação:

Se seu arquivo de fonte de áudio for monofônico (mono), é recomendável a codificação em mono para uso com o Animate. Se você estiver codificando com o Adobe Media Encoder e usando uma predefinição de codificação, lembre-se de verificar se a predefinição é codificada em estéreo ou mono e selecione mono, caso necessário.

Tutoriais e exemplos

Os seguintes tutoriais em vídeo e artigos fornecem explicações detalhadas sobre a criação e preparação de vídeo para uso no Animate. Alguns itens mostram o CS3 ou CS4, mas valem também para o CS5.

Esta obra está licenciada sob uma licença não adaptada da Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 3.0  As publicações do Twitter™ e do Facebook não são cobertas pelos termos do Creative Commons.

Avisos legais   |   Política de privacidade online