Planejar seu trabalho

As configurações corretas do projeto, a preparação da gravação e as configurações iniciais da composição podem ajudá-lo a evitar erros e resultados inesperados durante a renderização do filme de saída final. Antes de começar, pense no tipo de trabalho que estará fazendo no After Effects e o tipo de saída que pretende criar. Depois de ter planejado seu projeto e tomar algumas decisões básicas sobre configurações do projeto, você estará pronto para iniciar a importação da gravação e montar composições de camadas baseadas nessa gravação.

A melhor maneira de verificar se o filme é apropriado para um mídia específico é renderizar um filme de teste e visualizá-lo usando o mesmo tipo de equipamento que o público-alvo usará para exibi-lo. Convém fazer esses testes antes que você termine as partes difíceis e demoradas de seu trabalho, para detectar os problemas antecipadamente.

Aharon Rabinowitz fornece um artigo no site da Creative COW sobre o planejamento do projeto com as especificações finais de entrega em mente.

Para obter mais informações sobre as opções de codificação e compressão, consulte essa FAQ: “FAQ: Qual o melhor formato para renderizar e exportar no After Effects?”

Storyboards e scripts (roteiros)

Seu filme ou projeto de produção de vídeo normalmente começa com as tarefas de pré-produção, como a a criação do script (roteiros) e de storyboards, que guiam você durante as fases de produção (filmagem) e pós-produção (edição, trilha sonora, efeitos visuais etc.).

Você pode usar o Adobe Story para criar e gerenciar roteiros de modo colaborativo, além de usar metadados para gerar scripts e cronogramas de filmagem, listas de personagens, listas de filmagem e outros detalhes do script. Além disso, também é possível gerar relatórios específicos com base nos metadados durante a fase de edição do Adobe Story. O Adobe Photoshop e o Adobe Illustrator ajudam você a criar storyboards com base no seu script para filmagem de filme ou vídeo. 

Obter, escolher e preparar gravação

Antes de importar a gravação, decida primeiro qual mídia e formatos serão usados para filmes concluídos e depois determine as melhores configurações para o material de origem. Em geral, é melhor preparar a gravação antes de importá-la para o After Effects.

Por exemplo, se quiser que uma imagem preencha o quadro de composição, configure a imagem no Adobe Photoshop para que o tamanho da imagem e a taxa de proporção de pixels correspondam ao tamanho da composição e à taxa de proporção de pixels. Se a imagem for grande demais ao importá-la para o After Effects, você irá aumentar os requisitos de memória e do processador das composições que a usam. Se a imagem for pequena demais, você perderá qualidade da imagem ao dimensioná-la para o tamanho desejado. Consulte Proporção de aspecto de pixels e de quadros.

Se você fizer a gravação com iluminação e cor consistentes – e de outra maneira evitar a necessidade de ter muito trabalho utilitário entediante na pós produção – então terá mais tempo para o trabalho criativo.

Se possível, use gravação descompactada ou gravação codificada com compactação sem perdas. Por ser reversível, a compactação sem perda produz resultados melhores para operações, como a máscara de cor e o controle de movimento, enquanto a compactação com perda descarta alguns dados que não podem ser restaurados (perda de geração). Certos tipos de compressão, como a compressão usada nos formatos de câmera MPEG-2 ou MPEG-4, são inadequados para a máscara de cor porque rejeitam as nuances de cor necessárias para uma boa máscara de tela azul ou verde. Geralmente, é melhor aguardar até a fase de renderização final para usar uma compactação diferente da compactação sem perdas. Consulte Introdução à codificação e recursos.

Se possível, use uma gravação com uma taxa de quadros que corresponda à saída, para que o After Effects não precise usar a mesclagem de quadros ou métodos semelhantes para preencher quadros ausentes. Consulte Taxa de quadros.

O tipo de tarefa que estiver executando no After Effects e o tipo de filme de saída que você deseja criar podem mesmo influenciar o modo como grava e obtém sua gravação. Por exemplo, se você souber que deseja animar usando o controle de movimento, considere capturar a cena de forma que a otimize para o controle de movimento, por exemplo, usando marcadores de rastreamento. Consulte Fluxo de trabalho de rastreamento de movimento.

Considere também fotografar com um tamanho de quadro maior do que é necessário para a distribuição final se quiser mais espaço livre para a pós-produção, se para deslocamentos e zoom, ou para estabilização.

Configurações do projeto

As configurações do projeto se encaixam em três categorias básicas: como o tempo é exibido no projeto, como os dados de cores são tratados no projeto e a taxa de amostragem que será usada para o áudio. Dentre essas configurações, as configurações de cores são aquelas que você precisa considerar antes de fazer muito trabalho do projeto, porque determinam como os dados de cores são interpretados ao importar arquivos de gravação, como os cálculos de cor são executados enquanto trabalha e como os dados de cores são convertidos para a saída final. Consulte Gerenciamento de cores e Timecode e unidades de exibição de hora.

Se você ativar o gerenciamento de cores para seu projeto, as cores visualizadas são as mesmas cores que seu público-alvo verá quando virem o filme que você criou.

Observação:

Clique no indicador de intensidade de cores na parte inferior do painel Projeto para abrir a caixa de diálogo Configurações do projeto. Alt-clique (Windows) ou Opção-clique (Mac OS) para percorrer as intensidades de bits de cor: 8 bpc, 16 bpc e 32 bpc. Consulte Profundidade de cor e cor de taxa dinâmica elevada.

Configurações da composição

Após preparar e importar itens de gravação, utilize esses itens de gravação para criar camadas em uma composição, em que você anime e aplique efeitos. Ao criar uma composição, especifique as configurações da composição como resolução, tamanho do quadro e taxa de proporção de pixels para a saída renderizada final. Embora seja possível alterar as configurações da composição a qualquer momento, será melhor ajustá-las corretamente ao criar cada nova composição para evitar resultados inesperados na saída renderizada final. Por exemplo, o tamanho do quadro da composição deve ter o tamanho da imagem no mídia de reprodução. Consulte Configurações de composição.

Observação:

Se você pretender renderizar e exportar uma composição para mais de um formato de mídia, sempre faça corresponder as dimensões em pixels da composição às dimensões em pixels maiores usadas para a saída. Posteriormente, você pode usar os módulos de saída no painel Fila de renderização para codificar e exportar uma versão separada da composição para cada formato. Consulte Módulos de saída e configurações do módulo de saída.

Considerações sobre desempenho, memória e armazenamento

Se você trabalha com composições grandes, verifique se configura o After Effects e o computador para maximizar o desempenho. As composições complexas podem exigir uma grande quantidade de memória para renderizar e os filmes renderizados podem ocupar uma grande quantidade de espaço em disco ao serem armazenados. Antes de tentar renderizar um filme de três horas, certifique-se de que há espaço em disco para o armazenamento. Consulte Requisitos de armazenamento para arquivos de saída.

Se os arquivos de gravação de origem estiverem em uma unidade de disco lenta (ou em uma conexão de rede lenta), o desempenho será fraco. Quando possível, mantenha os arquivos de gravação de origem do projeto em uma unidade de disco local rápida. Teoricamente, você terá três unidades: uma para os arquivos de gravação de origem, uma a partir da qual o aplicativo é executado e outra para a saída processada.

Para obter mais informações, consulte Melhorar o desempenho e Preferências de memória e multiprocessamento.

Planejar para reprodução em monitores de computador e dispositivos móveis

Quando você cria um filme para reprodução em um computador ou dispositivo móvel, seja ele baixado da Web, reproduzido a partir de uma unidade de mídia ou do streaming de um site, é necessário especificar as configurações de composição, de renderização e saída que mantêm o tamanho do arquivo reduzido sem comprometer a qualidade de disponibilização pretendida. Observe que um filme com alta taxa de dados pode não ser reproduzido da forma adequada em dispositivos antigos. Da mesma forma, o download de um filme maior pode demorar ainda mais se o usuário possuir uma conexão de rede mais lenta.

Ao renderizar o filme final, escolha um tipo de arquivo e o codificador adequados para a mídia final. O decodificador correspondente deve estar disponível no sistema usado por seu público-alvo; caso contrário, não será possível reproduzir o filme. Os codecs comuns (codificadores/decodificadores) incluem os codecs instalados com os media players como o Flash Player, Windows Media Player e o QuickTime.

O Adobe Media Encoder CC oferece predefinições que contêm configurações de várias plataformas e formatos para dispositivos móveis, transmissões, cinema, vídeos da Web e outros recursos. Para obter mais detalhes sobre as predefinições do Media Encoder, consulte Uso do navegador de predefinições.  

Para obter mais informações sobre a renderização e a exportação no After Effects, consulte Noções básicas de renderização e exportação.

O artigo Exportação para a Web e dispositivos móveis cobre algumas dicas importantes sobre a exportação de vídeos para a Web e para os dispositivos móveis.

Para obter mais informações sobre as opções de codificação e compactação do After Effects, consulte essa FAQ: “FAQ: Qual o melhor formato para renderizar e exportar no After Effects?”

Dispositivos móveis

Grande parte das considerações envolvidas na criação de filmes para reprodução em dispositivos móveis, como celulares e tablets, são semelhantes às considerações sobre a criação de filmes para reprodução em computadores pessoais; contudo, as restrições são ainda mais extremas. Como a quantidade de armazenamento (espaço em disco) e a capacidade do processador podem sofrer variações nos celulares, o tamanho do arquivo e a taxa de dados dos filmes devem ser controlados com rigor ainda maior.

As dimensões da tela, as taxas de quadros de vídeo e as gamas de cores diferem enormemente de um dispositivo móvel para outro. 

Observação:

Use essas dicas ao gravar vídeo para dispositivos móveis:

  • Fotos estreitas são mais recomendáveis. É difícil ver um rosto em uma tela minúscula a menos que em um close-up relativo.
  • Ilumine seus temas e mantenha-os separados do fundo; os valores de cores e brilho entre o plano de fundo e o tema não devem ser tão semelhantes.
  • Evite o zoom e rolagem exagerados, que impedem cenas de compactação temporais.
  • Como o vídeo estável (sem agitação) é mais fácil de compactar, capture vídeo com um tripé para minimizar a agitação da câmera.
  • Evite usar recursos de foco automático e exposição automática. Quando esses recursos são acionados, eles alteram a aparência de todos os pixels em uma imagem de um quadro para o outro, fazendo a compactação usar esquemas de codificação interquadros menos eficientes.

Observação:

Use essas dicas ao trabalhar no After Effects (para dispositivos móveis):

  • Utilize uma taxa de quadros inferior (12 a 24 fps) para dispositivos móveis.
  • Use as ferramentas de estabilização de movimento ou efeitos de redução de ruído ou desfoque antes de renderizar a saída final, para ajudar o compactador a reduzir o tamanho do arquivo.
  • Faça corresponder a paleta de cores aos dispositivos móveis que você deseja. Os dispositivos móveis têm, em geral, uma gama de cores limitada.
  • Considere usar cortes e outras transições rápidas em vez de aumentar e diminuir o zoom ou usar atenuações ou dissoluções. Os cortes rápidos também facilitam a compactação.

 

 

Considerações de projetos entre plataformas

Os arquivos de projeto do After Effects são compatíveis com os sistemas operacionais Windows e Mac OS, mas alguns fatores – a maior parte relacionados com os locais e a nomenclatura dos arquivos de gravação e arquivos de suporte – podem afetar a facilidade do trabalho com o mesmo projeto entre plataformas.

Caminhos de arquivo do projeto

Quando você mover um arquivo do projeto para outro computador e abri-lo, o After Effects tenta localizar os arquivos de gravação do projeto como se segue: o After Effects procura primeiro na pasta em que o arquivo do projeto está localizado; depois, procura o caminho original do arquivo ou o local da pasta; finalmente, pesquisa a raiz do diretório em que o projeto está localizado.

Se você estiver criando projetos entre plataformas, é melhor que os caminhos completos tenham os mesmos nomes nos sistemas Windows e Mac OS. Se a gravação e o projeto estiverem em volumes diferentes, verifique se o volume não está montado antes de abrir o projeto e se os nomes de volume de rede são os mesmos nos dois sistemas.

Convém armazenar a gravação na mesma pasta que o arquivo de projeto ou em outra pasta nessa pasta. Segue uma hierarquia de amostra:

/newproject/project_file.aep

/newproject/source/footage1.psd

/newproject/source/footage2.avi

Você pode então copiar toda a pasta do novo projeto entre plataformas, e o After Effects localizará a gravação.

Observação:

Use o recurso Coletar arquivos para reunir cópias de todos os arquivos de um projeto em uma única pasta. Você então pode mover a pasta do projeto copiado para a outra plataforma. Consulte Coletar arquivos em um único local.

Convenções de nomenclatura de arquivo

Nomeie os arquivos de gravação e de projeto com as extensões de arquivo apropriadas, como .mov para filmes QuickTime e .aep para projetos do After Effects. Se os arquivos forem para ser usados na Web, verifique se os nomes de arquivo aderem às convenções aplicáveis para extensões e caminhos.

Tipos de arquivo suportados

Alguns tipos de arquivo são suportados em uma plataforma, mas não em outra. Consulte Formatos de importação suportados e Formatos de saída suportados.

Recursos

Verifique se todas as fontes, efeitos, codecs e outros recursos estão disponíveis nos dois sistemas. Esses recursos são geralmente plug-ins.

Se você usar um efeito do After Effects nativo em um projeto em um sistema operacional, o efeito ainda funcionará em outro sistema operacional para o qual você transferiu o projeto. No entanto, alguns efeitos de terceiros e outros plug-ins de terceiros podem não continuar funcionando, mesmo se houver versões desses plug-ins no sistema de destino. Nesses casos, você poderá precisar de reaplicar alguns efeitos de terceiros.

Esta obra está licenciada sob uma licença não adaptada da Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 3.0  As publicações do Twitter™ e do Facebook não são cobertas pelos termos do Creative Commons.

Avisos legais   |   Política de privacidade online