Conheça as diferenças entre imagens rasterizadas e vetoriais e seu uso comum.

Tipos de imagem digital

Ao criar diferentes tipos de composições e artes usando vários softwares, você encontrará os tipos básicos de imagem digital – rasterizada e vetorial.

Imagens rasterizadas

Introdução: as imagens rasterizadas, às vezes chamadas de imagens bitmap, são compostas por uma grade retangular de elementos de imagem chamados pixels. É atribuído a cada pixel um local específico e um valor de cor. Ao trabalhar com imagens rasterizadas, você edita pixels em vez de objetos ou formas.

Casos de uso comum: imagens rasterizadas são o meio eletrônico mais comum para imagens de tons contínuos, como fotografias ou pinturas digitais, porque podem representar gradações sutis de sombras e cores com mais eficiência.

Softwares e tipos de arquivos populares: a maioria dos profissionais usa o Photoshop para trabalhar com imagens rasterizadas. Os tipos de arquivos rasterizados exportados com frequência no Photoshop são JPEGs, GIFs, PNGs e TIFFs.

Resolução e tamanho do arquivo: as imagens rasterizadas dependem da resolução, isto é, elas contêm um número fixo de pixels. Ao redimensionar, a imagem rasterizada perde ou ganha pixels, resultando em uma qualidade de imagem reduzida. As imagens rasterizadas geralmente têm arquivos de tamanho grande devido às informações de pixels armazenadas e geralmente precisam ser compactadas para manter os tamanhos de arquivo baixos quando usadas em determinados aplicativos da Creative Cloud.

imagens rasterizadas
Imagens rasterizadas são imagens baseadas em pixels, usadas principalmente para editar fotografias ou fazer arte digital que pode ser facilmente usada em toda a Web.

Imagens vetoriais

Introdução: as imagens vetoriais, às vezes chamadas de gráficos vetoriais, formas vetoriais ou objetos vetoriais, são feitas de formas geométricas (pontos, linhas ou curvas), orgânicas ou de forma livre definidas por equações matemáticas de acordo com suas características.

Casos de uso comum: imagens vetoriais são a melhor opção para trabalhos de arte, como ilustrações técnicas, papel timbrado, fontes ou logotipos, usadas em vários tamanhos e em várias mídias de saída. Gráficos vetoriais também são úteis para impressão de sinais especiais, CAD e gráficos 3D.

Tipos de arquivo e software populares: o Adobe Illustrator é o ideal para criar artes vetoriais. Alguns formatos de arquivo de gráficos vetoriais comuns são AI, EPS, SVG, CDR e PDF.

Resolução e tamanho do arquivo: é possível mover ou modificar gráficos vetoriais livremente sem perda de detalhes ou clareza, porque eles não dependem da resolução – eles mantêm arestas bem definidas ao serem redimensionados, impressos em uma impressora PostScript, salvos em um arquivo PDF ou importados para um aplicativo de imagens gráficas baseado em vetores.

imagens vetoriais
As imagens vetoriais são definidas por equações matemáticas e são usadas principalmente para criar ilustrações e outras mídias que podem ser impressas em vários tamanhos.

Usar rasterização e vetor no Photoshop

O Photoshop é compatível com projetos criativos que vão desde edição e composição de fotos até pintura digital, animação e design gráfico. Por padrão, a maioria dos trabalhos criados usando o Photoshop são arquivos rasterizados. No entanto, também é possível criar arquivos vetoriais no Photoshop e converter arquivos rasterizados em vetores.

Para saber mais sobre como adicionar elementos de design vetorial à composição do Photoshop, consulte Trabalhar com ferramentas de forma.

Fatores de qualidade que afetam a combinação rasterizada-vetorial

Ao combinar gráficos vetoriais e imagens rasterizadas em um documento, é importante lembrar que a aparência da arte na tela nem sempre é igual na mídia final (seja impressão comercial, impressão em uma impressora de mesa ou visualização na Web).

Os fatores a seguir influenciam a qualidade do trabalho final:

  • Transparência: muitos efeitos adicionam pixels parcialmente transparentes à arte. Quando a arte contém transparência, o Photoshop executa um processo chamado achatamento antes de imprimir ou exportar. Geralmente, o processo de achatamento padrão produz excelentes resultados. No entanto, se a arte-final contiver áreas de sobreposição complexas e você requer um resultado de alta resolução, provavelmente desejará visualizar os efeitos do achatamento.
  • Resolução da imagem: o número de pixels por polegada (PPI) em uma imagem rasterizada. Usar uma resolução muito baixa para uma imagem impressa resulta em pixelização: saída com pixels grandes e grosseiros. Usar uma resolução muito alta (pixels menores do que o dispositivo de saída pode produzir) aumenta o tamanho do arquivo sem melhorar a qualidade do resultado impresso e diminui a velocidade de impressão da arte.
  • Resolução da impressora e frequência de tela: o número de pontos de tinta produzidos por polegada (DPI) e o número de linhas por polegada (LPI) em uma tela de meio-tom. A relação entre a resolução da imagem, a resolução da impressora e a frequência de tela determina a qualidade dos detalhes na imagem impressa.